Cloud Computing: a nuvem está ao alcance de todos

Publicado em 23/10/2017 13:25  | Tecnologia

A cloud computing veio para ficar. E, antes que você pergunte o que é cloud computing, pense na seguinte situação: já aconteceu de você perder fotos guardadas no celular, no computador ou mesmo em um pendrive? Ou, pior, documentos importantes relativos aos seus clientes simplesmente sumiram? Isso, em geral, acontece por falta de backup, que é chato de fazer, porém necessário. Agora, imagine que existe uma solução para tudo isso e que não envolve a compra de um servidor próprio nem a contratação de um especialista em TI, mas sim um investimento inicial pequeno. Graças à cloud computing (ou computação em nuvem), agora, não só as grandes corporações como, também, as pequenas e médias empresas podem ter acesso a soluções e serviços integrados da mais alta tecnologia. Pequenas e médias empresas podem utilizar a nuvem para aperfeiçoar o controle de seus negócios, melhorar o atendimento a seus clientes e, por consequência, ter ganhos de competitividade e aumento nas vendas.

A nuvem já é o carro-chefe da transformação digital no ambiente corporativo de empresas de todos os portes. Somente o mercado de soluções de segurança na nuvem deve atingir 10,8 bilhões de euros em 2022, segundo a Transparency Market Research (TMR). Trata-se de um movimento mundial sem precedentes, em que a tecnologia ocupa um papel decisivo e serve de base para impulsionar o desenvolvimento das organizações.

Não se trata, portanto, de uma “moda” inventada pelo pessoal de TI, e sim de uma mudança de comportamento que se desenrola no coração das empresas, envolvendo todas as áreas. Não são apenas os empreendimentos digitais que se beneficiam dessa transformação, mas todas as empresas, seja qual for o segmento de atuação e o seu tamanho.

A propósito, pequenas e médias empresas (PMEs) desempenham um papel crescente na ascensão do mercado para serviços na nuvem. Segundo uma pesquisa da McKinsey, em 2015, a participação no mercado de organizações desses portes atingiu US $ 28 bilhões, com um pool de lucro na casa dos US$ 3,5 bilhões, representando algo entre 40% e 50% do mercado total da nuvem. Num levantamento feito pela McKinsey com líderes das PMEs, em 2014, 60% dos entrevistados indicaram ter já comprado ao menos um serviço de nuvem, enquanto cerca de 30% compraram cinco ou mais. Estudo conduzido pela Forrester Consulting para avaliar o benefício econômico que uma empresa teria ao adotar o PaaS (em português, Plataforma como Serviço) relata que, em média, o retorno sobre investimento foi de nada desprezíveis 466%, gerando uma economia de 80% na área de TI referente ao gerenciamento de aplicativos na plataforma. Segundo a Delloite, PMEs que usam serviços em nuvem são 21% mais rentáveis e crescem 26% mais rápido do que empresas que não as utilizam.

Alguns dos motivos pelos quais os empreendedores estão aderindo a este novo e revolucionário sistema são os ganhos exponenciais que ele proporciona. Porque, entre outras coisas, a empresa melhora seus processos operacionais e, consequentemente, seu desempenho, por vezes modificando até seu modelo de negócios; ganha, também, o cliente, que passa a ter uma melhor experiência com a empresa. E não é só isso. Talvez o maior ganho para o empresário seja, mesmo, em termos de produtividade. Porque, ao levar seus dados para a nuvem, ele não apenas vai armazená-los em local seguro como, também, poderá acessar e processar essas informações de forma ágil e inteligente, como as grandes e poderosas companhias já vinham fazendo.

Fonte: PEGN