Coluna do Contador: Pílulas de Otimismo por Célio Faria de Paula

Publicado em 19/04/2018 14:51  | Economia

O profissional mais próximo do segmento econômico é, sem dúvidas, o contador. Pelas peculiaridades de suas atividades, convive, diariamente, nos bastidores dos empresários brasileiros. Desenvolvendo seu trabalho dentro das empresas ou através de seus escritórios contábeis deslumbram cenários realistas e atualizados dos empreendimentos em todos os setores da economia. Consequentemente somos testemunhas oculares, em cada cidade ou região de todos os rincões de nossa pátria, do inconformismo dos empresários e seus colaboradores com a vigente estrutura político-econômica.

                Tenho, ainda, o privilégio de pertencer a uma rede de empresários contábeis com representantes em todas as capitais e importantes cidades do interior, que atendem a milhares de empresas de todos os segmentos econômicos. Uma amostra significativa que funciona como um radar político e econômico do país. Em nossos encontros semestrais, concluímos que as dificuldades vão muito além da administração dos negócios, como a alta das tarifas elétricas, preço do dólar, alta carga tributária, endividamentos e a ausência de qualificação da mão de obra. Essas questões pontuais não são novidade, já convivemos com elas no passado e conseguimos sobreviver, embora com muito sofrimento. Entretanto, percebemos nos empresários um sentimento de desolação.

Sabia-se há muito tempo da contaminação do poder público e que a corrupção predominava acobertada nas escusas negociatas de seus administradores e comparsas. Algo que rondava nosso imaginário agora é real, declarados, delatados e arrancados dos porões dos gabinetes oficiais e trazidos a público. Um passivo ainda distante de ser avaliado, mas praticamente irrecuperável. A corrupção institucionalizada é uma perda inestimável no balanço brasileiro. Um prejuízo moral que deixa essa geração contaminada pelos seus efeitos devastadores.

Todavia, estou convicto que uma reconstrução social irá acontecer. O povo tem mostrado grandes doses de patriotismo ao sair pelas ruas acenando com determinação o seu descontentamento. As pessoas estão mais convencidas que essa reconstrução começa em casa com a educação dos filhos e a formação de valores sólidos. Prática que devemos adotar com nossos vizinhos, nas ruas, com os colegas e amigos, e no cotidiano dos negócios. Essa conscientização nos fará, um dia, através do voto, expurgar esses vermes que envergonham a política brasileira. Sei que levará tempo, mas sou um otimista inveterado.

Deixo aos leitores algumas pílulas de otimismo sustentado na inabalada fé que esse país é grande e forte demais para que esses ratos de porão consigam destruí-lo. Nosso povo é dócil, mas é capaz de se agigantar diante das ameaças. E acima de tudo é um hábil e incansável trabalhador. Não há crise que o trabalho sério e determinado não supere.

Célio Faria de Paula
Contador e Diretor da Tecol Consultoria Empresarial
CRC MG 18.754