Humanização nas empresas

Publicado em 06/08/2018 11:27  | Tecnologia

Em um mundo onde a tecnologia abriu as portas para a comunicação, as empresas se depararam com um novo cenário onde a humanização é a palavra-chave para ter um bom negócio.  

As pessoas procuram locais de trabalho onde a abertura para o diálogo é o padrão ditado, e os integrantes da equipe se sentem especiais para a empresa.

Home-Office, Happy Hour, folga no dia do aniversário e até mesmo levar o pet para o trabalho, são algumas estratégias que já tem sido utilizadas por empresários para deixar o ambiente corporativo mais agradável.

Embora essa “humanização” seja tendência no mercado, ela exige cautela, pois se praticada sem equilíbrio pode gerar prejuízos e prejudicar o desempenho dos colaboradores.

Pensando nisso, listamos alguns cuidados necessários na hora de humanizar a empresa:


Trabalho x Integração da equipe 

Algumas empresas costumam organizar “Happy Hours” com os colaboradores após o expediente para gerar um momento de descontração. Mas é preciso ter cuidado para que a “confraternização” não extrapole os limites toleráveis do ambiente corporativo.


Feedback de forma adequada

Embora seja uma ferramenta indispensável, algumas empresas ainda pecam nesse quesito. Muitos ainda tem o feedback como um instrumento para categorizar o desempenho dos funcionários dentro da empresa, ou ditar se ele foi ou não “promovido”. O que é errado, pois essa ferramenta foi criada para motivar e mostrar para a equipe o que está correto, e o que pode melhorar.


Política de Home-office 

As vantagens do home-office são inegáveis, e por isso cada vez mais profissionais tem procurado empresas que oferecem esse benefício. Mas infelizmente, nem todo profissional consegue se adequar a esse padrão de trabalho e acaba não tendo uma disciplina correta e produtiva no ambiente doméstico. Por isso, é necessário que a empresa faça uma avaliação bem detalhada do perfil daquele profissional, e que também coloque na ponta do lápis se o tipo de trabalho que ele vai exercer realmente pode ser feito em casa. 


Vida profissional x vida pessoal

Nos dias atuais é comum encontrar empresas que proporcionam espaços de lazer dentro do próprio ambiente de trabalho, como mesas de sinuca, videogames, entre outras coisas que ajudem os funcionários a “desestressar” na hora do almoço ou após o expediente.

Apesar de ser uma forma de descontração, deve se tomar cuidado com esse diferencial, pois é preciso ver até que ponto essa “humanização” não vai extrapolar os limites de lazer oferecidos dentro do ambiente corporativo. Além disso, esse atividade pode fazer com que os funcionários acabem ficando até mais tarde na empresa, e isso pode ser prejudicial, pois manter um limite entre a vida profissional e pessoal é necessário, saudável e importante para manter o equilíbrio no dia a dia.


Escritórios "pet friendly"

Ter uma animal de estimação no ambiente de trabalho é uma tendência que começou nos Estados Unidos e acabou chegando no Brasil recentemente. Hoje já é possível encontrar alguns escritórios que permitem que os funcionários levem o cachorro para o trabalho uma vez por mês.

Por mais que seja maravilhoso, e comprovado cientificamente os benefícios de se ter um animal de estimação, deixar que ele frequente o local de trabalho é preciso ter cautela, afinal não há quem resista aos charmes do bichinho. Por isso, o pet pode acabar distraindo os funcionários ou incomodar pessoas que tem fobia de animais. 


Fonte: Portal Administradores